domingo, 15 de novembro de 2015

Águas que caem da ponte

Águas que caem da ponte
se juntam às aguas que correm
da fonte em vão

trazem à língua uma fala
de quem não se cala
nem com a cicuta no chão

Um vale de encontro aos conflitos
Um vale de mitos
Um vale-delito na outra eleição

mesmo quando só se escuta
a voz que se disputa
entre nós de um novelo pagão

mostra o que trouxe pra cama
um doce de lama
em retrato de um aluvião

Um vale de escombros aflitos
Um vale de rio entre amigos 
num rito pra outra eleição

Não vale o chão que se pisa
Não vale a voz que se frisa
Não vale a dor imprecisa
Não vale a precisão

sábado, 14 de novembro de 2015

Olhar

Um olho no mar
outro no ar
no meio um horizonte sem lugar
alheio a outra forma de amar
onde o sol é ímpar

porque amor
há de ser
o que for
se juntar
entre algo a mais

O gosto no olhar,
um rosto solar,
e o resto de uma outra low-cura
honesta
traz no gesto outra jura
porque sei
que o amor
há de ser
outro mar
outra vez
a expandir
o que eu sei
e o que eu
sinto por você

há tantas formas de ver
o que o amor pode ser
entre o sol
e o mar
um dossel
similar
a um doce
efeito que o céu traz

Sorte vulgar
Norte insular
no meio a outras formas de supor
apenas uma norma sem rigor
entre nós
um amor

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Vingativa

Foi olhando a roda 
e foi entrando...
Aprendeu a se soltar...
Foi olhando
no olho do marmanjo
que estocou o seu olhar
tão direto e certeiro,
derradeiro...
que se pôs a derramar
seu charme desarma
um devaneio
na intenção de provocar

Faz que vem
fez que veio
e foi voltando
nessa volta
sem vingar

Fez um giro
sem jeito
e sugeriu
um sujeito pra ele  
se sujar

domingo, 16 de agosto de 2015

Retirante

Existe uma ausência
em tudo que faço
uma lâmina de aço
que corta a existência

Há uma essência
que eu não acesso
e causa abscesso
aumenta querência

provoca ardor
convoca dor
restaura o que sofreu

ressoa alta
na pessoa a falta
da ausência que sou eu

quinta-feira, 7 de maio de 2015

caixa

Fora da caixa,
é que se acha
o que se quer.

O que se acha
é o que se quer 
fora da caixa...

O que se quer
fora da caixa,
é que se acha.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Ambulante

E assim vou vivendo
De sonho em sonho adiado
No caminho da esperança
Fazendo a vida dos outros

Enquanto isso, eu
Esse cadáver adiado em pessoa
Vou vivendo morto
Meio torto, no sonho dos outros
Sem porto

Sem força para fugir
Sem tempo para começar de novo
Sem esperar que eu me encontre
Na esperança dos outros

De sonho em sonho
Continuo sem acordo
De porta em porta
Vou vendendo a minha vida
De sorte em sorte
Tendo surtos de paixão
Pra esquecer que minha vida
Foi apenas sonho em vão

Assim perambulo ambulante
Dentro de minha ambulância
procurando um ambulatório pro coração

terça-feira, 3 de março de 2015

Fetichismo

É muito fácil falar das mazelas
e das donzelas que me devoram
difícil é erguer uma favela
e acender velas para os que exploram

É muito fácil reclamar do errado
dedo apontado
do lado dos justos
difícil é engolir impropérios
vendendo férias
pra alimentar custos

Bem mais fácil é falar do que vivo
para ser correto e objeto moral
mais difícil é viver linha reta
se um mundo abjeto
te quer como tal

É mais fácil viver no fetiche
se a vida é um boliche
que te manda pro chão
difícil é encobrir que o fetiche
é o maior dos fetiches
é o fetiche padrão





Turista

Há um turista dentro de mim
que gosta de passear pelos meus cantos
que descobre encantos
por onde visitou

Há um visitante em meu ser
que responde pelos meus atos
que explora meus fatos
quando um ser eu sou

mas há algo que me agrada nessa relação
entre ser o que já fui e conhecer minha reação
a viagem me corrói
destrói em mim uma nação
posso prever o que me dói
só não garanto que sou são...

Políticas

Cuidado crianças,
tirem as opiniões da sala
a começar pela minha
que está completamente errada
ela não é a de vocês

Cuidado todos que são donos do alheio
o único receio na vida
é ser completamente ignorado
quem ignora o mundo
só tem o que se vive


Tomados os cuidados,
malhem tudo para todos
todos os problemas são outros
e não há o que fazer aqui

a não ser tomar por assalto
um mundo que não é seu
com os reclames bem alto a dizer pra todos:
Não é problema meu!






sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Pessoas

Hoje acordei ao seu lado,
me entreguei ao seu agrado,
me encontrei em seu sonho...

Hoje me refiz de um desejo,
me calei em poucos beijos,
me achei no que emociono...

Porque amanhã não sou nada
além de alguém que se compõe
e que espera encontrar outro alguém
que se dispõe pra outro alguém

Porque amanhã vou voltar a ver
que viver mais que um segundo
vem da parte que me afaga
e tem todos os sonhos do mundo

Hoje me encontrei ao seu lado,
acordei em seu agrado,
me entreguei ao seu sonho...

 Hoje me calei em um desejo,
me achei em poucos beijos,
me refiz no que emociono...

Porque amanhã vou voltar...
Porque amanhã há um lugar
que faz ter em mim todos os sonhos do mundo

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Perto

Toda noite e todo dia
Estou por perto, como queria
E eu te vejo, eu te beijo

Ainda que por aqui não mais esteja
Por perto, ao certo, aperta uma certeza
De que seja quem for, meu amor estará ao redor

E toda noite, todo dia,
Estarei por perto, como queria
Mesmo sem beijo
Ainda te vejo...